Resposta à Veja


Senhor Robson Bonin,

Em relação à nota “Vice de Santa Cruz atua para defender Bolsonaro dentro da OAB” veiculada por sua coluna, o movimento “OAB Em Defesa da Advocacia” esclarece o seguinte:

É notória e pública a divergência político-administrativa de integrantes da atual direção com o comando da gestão do CFOAB, o que levou a três diretores, conselheiros, presidentes e vice-presidentes de seccionais da OAB, presidentes de caixas de assistência e ex-presidentes nacionais da entidade a lançar um manifesto em abril passado

Uma das críticas à atual presidência do CFOAB foi exatamente a de partidarizar a entidade, transformando-a em trampolim eleitoral com o objetivo de consolidar a sua candidatura a cargo público, como aliás já registrou esta prestigiosa coluna.

Um dos objetivos do movimento é o de evitar a polarização político-partidária que contaminou a OAB e a sociedade brasileira, inclusive parcela da imprensa. E, no caso de nossa instituição, privilegiou o acirrado debate político ao invés de cuidar dos assuntos inerentes ao exercício da profissão, afetado pela pandemia.

O movimento “OAB em Defesa da Advocacia” é plural, horizontalizado, e aberto às mais diversas correntes de pensamento da advocacia, o que pode ser observado pela sua composição heterogênea e democrática.

Portanto, é equivocada a afirmação de que um dos seus integrantes, o vice-presidente Luiz Viana, atue para defender esta ou aquela figura política no cenário nacional, como afirma o título da nota. Trata-se, naturalmente, de uma imputação de adversários do movimento pois não há um único gesto, um único ato de seus integrantes em defesa de qualquer político, de qualquer matiz que comprove isso.

Movimento em Defesa da Advocacia.